terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Reflexos

Permaneço parado diante do espelho tentando entender aquele que está a minha frente. Tentando perceber um gesto, um olhar, um movimento que me ajude a decifrá-lo. De onde vem toda essa angústia? De onde vem essa expressão fria e vazia? Em que ponto foi perdido aquele fio de vida?
Quanto mais o observo mais distante vou me distanciando do mundo. Ele me puxa para dentro do espelho, e junto o pouco de mim que ainda convive socialmente. Não sei se quero lutar contra isso. Se quero entendê-lo ou apenas esquecê-lo. Daquele lado tudo é tão quieto e triste.
Seu olhar penetra em minha alma. Por um instante não sei mais de que lado estou deste espelho. Sei que não poderei voltar depois que entrar. Mas... por que voltaria?



I stay in front of this mirror, trying to understand that one in front of me. Trying to note a gesture, a look, a movement that helps me to decode him. From where comes so much anguish? From where comes this expression so cold and empty? Where the line of life did was lost?
How much I observe more distant I going being from the world. He pulls me inside the mirror, and together goes the few of me that still lives socially. I don't know if I want to fight it. If I want to understand him or just forget. That side all seems so quiet and sad.
He looks goes deep into my soul. For a moment I don't know in which side I'm from this mirror. I know that I won't come back after I come in. But... Why would I come back?

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Endechas a Bárbara Escrava, por Guzma...

Olho-te caminhar ao lado de tua senhora. Sempre servindo sem conhecer outros desejos ou vontades. Separada de sua família. Separada dos seus amigos. Serves tua senhora com tanta presteza que parece que fora criada para isso. Nascida e feita para servir. Assim como serves meu olhar.
Luiz passava a maior parte do seu dia, sentado a sombra do terraço de sua casa. As papoulas preenchiam os espaços vazios entre as madeiras do teto do sobrado tornado aquela sombra ainda mais agradável. A frente do terraço ele podia observar o movimento das pessoas indo e vindo, pois era uma das principais ruas da cidade.
Era lá que ele todos os dias esperava passar a senhorinha Letícia. Todos os dias a senhorinha Letícia vinha a cidade. Algumas vezes para realmente fazer suas compras, mas geralmente apenas para passear já que a fazenda do seu pai não oferecia muito entrertendimento. Mas Luiz não ficava esperando para ver a senhorinha. Quem realmente o interessava era a escrava que sempre acompanhava sua senhora.
Bárbara era um negra que tinha uma beleza invejada por muitas senhoras daquela época. Além disso era cobiçada por muitos senhores, mas querida apenas por um, ele sabia. Sua pele escura refletia o brilho do sol. Tinha longos cabelos cacheados. Olhos negros como a noite. Uma noite calma e serena.

Anjo de escura pele.
De mãos delicadas
E olhos da noite.
Agora desejada em segredo.
Cobiçada por aquele
A quem devias servir.
Desejada por quem
Deseja servir-te.



I watch you walking besides your lady. Always serving without know others desires or wishes. Apart of your family. Apart of your friends. You serve your lady so readiness that just seems that you were made for this. Born and made to serve. As you serve my eyes.
Luiz used to pass most of the day sat at the terrace of his house. The poppies fulfill the empty spaces of the wood at the roof of the terrace giving a pleasant shadow. In front of the terrace he could watch the people passing by, coming and going, because that was one of the main streets of the city.
There he waited everyday for the little lady Leticia. Every day she came to the city. Sometimes to do some shopping, but normally just to take a walk, because at her father's farm there was not much to see. But Luiz isn't there to see Miss Leticia. Who really matters for him was the black slave woman, which was always making company to the little lady.
Barbara was a black woman with a beauty to be envy by a several ladies of that time. Besides that, she was also desired by many lords, but beloved just by one, he knew that. Her dark black skin reflected the sun light. She had a long hair arranged in curls. Dark eyes like the night. A calm and serene night.

Angel of dark skin.
Delicate hands
And night eyes.
Now beloved in secret.
Desired by that one
Who you should serve.
Desired by whom
Desires to serve you.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Gelo fino...


Frozen lake
Upload feito originalmente por LisaG in Tel Aviv
Caminho sobre essa fina camada de gelo,
Tentando fugir de um mundo que não quero viver...
Um mundo tão frio e sem vida
Quanto o fino gelo sob meus pés.

Caminho sobre essa fina camada de gelo,
Mas não sei por quanto tempo ela irá me suportar...
Um frio escuro e úmido aguarda sob mim,
Envolver-me em seu abraço eterno.

Caminho sem segurança onde pisar.
Sentindo o gelo quebrar-se.
Tudo o que me sustenta prestes a ruir.
Então nada mais vai me restar...
Nada além do frio... E do gelo.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

I walk above this thin ice surface,
Trying to escape from a world
That I don't want to live in...
A so cold and lifeless world
As thin as the ice under my feet.

I walk above this thin ice surface,
But I don't know for how long it will sustain me...
A dark and damp cold waits under me,
To involves me into its eternal hug.

I walk unsure where to step over.
Feeling the ice breaking.
Everything which sustains me just to ruin.
So there will nothing more left to me...
Nothing but the cold... And the ice.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Vida e Morte de um Caixeiro Viajante

Esses dias lembrei de uma peça que assisti já faz um bom tempo, em SP. A Morte do Caixeiro Viajante, de Arthur Miller. Na peça a trama se desenrola sobre o personagem Willy Loman, que vive um drama social e um drama familiar ao mesmo tempo, pressionando-o até o mesmo cometer suicídio.
Willy é um aspirante a rico, que embalado pela rapidez com que as pessoas enriqueciam, acredita que também terá o mesmo sucesso e que a fama e o dinheiro chegariam logo. Porém as oscilações do mercado acabam com os sonhos de Willy, levando-o a falir. Ele então cria um mundo fantasioso para fugir da realidade deprimente que vive. Ele começa a idealizar que sua vida é cercada de amizades leais, uma esposa que orgulha-se dele e que tem filhos que o respeitam tanto quanto seus amigos.  
No final tudo o que resta a Willy é o dinheiro do seguro de vida. As pessoas que se importavam com ele foram as que ele menos deu importância. Uma pessoa que viveu para agradar todos os que o desprezavam, menos os que o realmente amava-o. Ele então comete suicídio para que a família fique com o dinheiro, numa espécie de compensação por não ter conseguido ser tudo que ele idealizou.

... E nem seguro de vida eu tenho para deixar.



Those days I remembered about a play that I saw sometime ago, at São Paulo. The Death of the Salesman, from Arthur Miller. In this play the main character Milly Loman lives a social and familiar drama at the same time, pressing him until he suicides.
Willy is a rich pretender, that taken by how fast the people are getting rich, believes that also will have the same success, and that fame and money would get soon to him. But the market oscillations break his dreams, leading him to a bankrupt. So he creates a fantasy world to runaway from his sad reality. He starts to realize his life as surrounded by loyal friends, a wife which has proud of him and kids that respect him as much as his friends.
In the end, all that remains to him is the money of his life insurance. Those whose cared about him, were those who most ignored. A person who lived to pleasure those who despise him, forgetting those that really loved him. So he commit his suicide to that his family gets the insurance money, on a kind of compensation to never had got those things which he dreamt.

... And I... Neither a life insurance have, to can leave.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Caixa de Pandora

Prometeus era um dos Titãs, uma raça que habitava a terra antes da criação do homem. A ele e seu irmão, Epimeteus encubiu a tarefa da criação do homem. Prometeus pegou algumas sementes dos céus e plantou-as na terra, derramando água sobre eles e fazendo o homem à imagem dos deuses.
Ele deu ao homem uma estatura ereta. Enquanto os outros animais voltavam sua face para o chão, o homem podia olhar os céus e as estrelas. Ao homem também havia sido concebido diversas qualidades como coragem, força, sagacidade, velocidade, a um foi dado asas, garras a um outro, uma concha protetora a um terceiro, e assim por diante. E acima de todas as qualidades, Minerva junto com Prometeus, roubaram o fogo do paraíso fazendo com que descesse uma chama sobre o homem, o provendo então da inteligência para fabricar armas para caça, instrumentos de agricultura para obter seu próprio sustento, habilidade de comércio, proteger-se do clima, etc.
Até então a mulher ainda não havia sido criada. Conta a lenda que Júpiter a criou, e enviou a Prometeus e seu irmão como castigo por terem roubado o fogo do paraíso, e como castigo ao homem por ter aceito a dádiva. O nome dessa mulher era Pandora. Feita no paraíso, teve em cada parte da sua criação, um dedo de cada deus, fazendo dela a própria perfeição. Vênus lhe deu a beleza. Mercúrio, a persuasão. Apolo, a música, etc...
Assim criada, foi enviada a terra e logo apresentada a Epimeteus, que aceitou-a de muito bom agrado, mesmo sendo advertido pelo seu irmão para que tivesse cuidado com os presentes de Júpiter. Epimeteus tinha em sua casa, uma caixa. Nessa caixa estavam guardadas todas as mazelas da humanidade. Pragas como lepra, reumatismo, tuberculose, câncer e muitas outras, inveja, ira, malícia, traição, todo tipo de maldade e doença estavam lá.
Pandora, uma noite, tomada por uma enorme curiosidade em saber o conteúdo da caixa, abriu-a para olhar dentro. Foi então que todas as pragas e doenças escaparam para o mundo. Pandora, desesperada com o que havia feito, retirou de si, seu bem mais sagrado para preencher a caixa: esperança.
Então, ainda nos dias de hoje, qualquer que seja o mal que nos rodeia, a esperança nunca nos abandona por completo. E enquanto tivermos ela, nenhuma doença ou desgraça poderá nos derrubar completamente.




Prometheus was one of the Titans. A race which lived in the earth before the creation of the man. To him and his brother, Epimethius, was gave the task to create the man. So Prometheus took some heaven seeds and did plant on the earth, pouring water above it and making the man equal image of the gods.
He gave the man the straight position, while other animals with their faces turned to the ground. So the man would look to the heavens and the stars. To the man also was gave a lot of skills like courage, strength, sagacity, speed, etc. Also was gave to one a pair of wings, to another a protection shell, another with claws, and so on. Instead of all those skills, Minerva together with Prometheus, stole the heaven's fire, doing with this that a flame felt above the man giving him intelligence to make guns to hunt, agriculture instruments to get his self sustain, commerce skills, protection skills, etc.
The woman hasn't been created until than. Tells the legend that Jupiter had created her, sending to Prometheus and his brother as a punishment to had stolen the heaven's fire, and as the man punishment to have had accepted the gift. Her name was Pandora. Made in heavens, had on her creation a finger of every god, turning her into the perfection itself. Venus gave her the beauty. Mercury the persuasion, Apollo, the music, etc.
So, with the woman created, she was sent to the earth and so presented to Epimethius, that had accepted her very pleasant, even with the advertisement of his brother to take care with the Jupiter gifts. Epimethius has into his house a box. Inside this box existed all the human evil. Plagues, diseases, envy, angry, hungry, treason, all sort of bad things was there.
Pandora, one night, took by a great curiosity to know the box contents, opened the box to look inside. That was when all plagues and curses went out to the world. Pandora, despaired about what had done, took from herself her most precious gift to put inside the box: the hope.
So, until nowadays, doesn't matter the evil that is around us, the hope is always with us. And while its there, no evil or sickness will destroy us completely.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

μεταμορφόω...

"In nova fert animus mutatas dicere formas corpora; di, coeptis (nam vos mutastis et illas) adspirate meis primaque ab origine mundi ad mea perpetuum deducite tempora carmen!"

Já que estamos falando de mitologia, lembrei de um livro que fomos apresentados em uma aula de um curso de Latim que havia feito. O livro Metamorfoses (Metamorphoseon) do poeta Romano Ovídeo. Metamorfoses constitui-se de 15 livros escritos em doze mil versos compostos em latim e que transcorrem poeticamente sobre a cosmologia e a história do mundo, confundido deliberadamente ficção e realidade, narrando a transfiguração dos homens e dos deuses mitológicos em animais, árvores, rios, pedras, representando o príncipio dos tempos, chegando à apoteose de Júlio César e ao próprio tempo do poeta, ou seja, o Século de Augusto (43 a.C. - 14 d.C.). Fazendo uma referência a própria Bíblia, pode-se dizer que Metamorfoses é o Velho Testamento da Mitologia greco-romana. Inclusive contendo curiosas coincidências e referências em alguns trechos, como o da criação do homem:

Ovídio
"Nasceu então o homem. Este, ou o fez de semente divina
aquele artífice do universo, a origem do mundo melhor;
ou então a tera recente, separada há pouco do alto éter,
talvez ainda contivesse sementes do céu, seu parente, terra
que o filho de Jápeto, misturando com água da chuva*,
moldou à imagem dos deuses que governam tudo."

*Nota do autor: Terra com a água da chuva forma o barro.

Gênesis 2, 5-7
"[5]Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o Senhor Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. [6]Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo.* [7]Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego da vida, e o homem passou a ser alma vivente."

*Nota do autor: A neblina trazia a chuva que regava a terra, formando também o barro.

Igualmente, temos em Metamorfoses um dilúvio que renovará o mundo.

Metamorfoses também influenciou diversas obras como A Divina Comédia (Dante Aleghieri), onde o Inferno é uma encenação de vários personagens mitológicos de Ovídio, debatendo-se em punições. Em Sonho de uma Noite de Verão, Shakespeare pega emprestado o conceito de metamorfose pela transformação parcial de Bottom, uma clara referência a Apuleio. As fadas de Shakespeare, assim como os deuses de meaçadoras e poderosas, com um controle sobre a natureza e os homens, mesmo que sejam benéficas. E temos outra vez a história de Píramo e Tisbe, Livro IV, que mais tarde se tornará Romeu e Julieta.
Franz Kafka, já no século XX, publica o conto A Metamorfose (1912) utilizando a metáfora das pessoas que são colocadas à margem da sociedade. O personagem principal, Gregor Samsa, ao contrário do "blasfemador e arrogante" Erisícton de Ovídio, é um caixeiro-viajante que trabalha muito para sustentar os pais e sua irmã jovem. No Erisícton de Ovídio, o personagem tem uma filha, Mestra, que sempre
arranja comida para o pai, enquanto que Gregor de Kafka possui uma irmã que se digna a entregar-lhe alimento mesmo sentindo repulsa dele.

Essas referências, assim como diversas outras, tornam Metamorfoses uma vasta fonte de estudos nas mais diversas áreas da psicologia, psicanálise e filosofia.




"In nova fert animus mutatas dicere formas corpora; di, coeptis (nam vos mutastis et illas) adspirate meis primaque ab origine mundi ad mea perpetuum deducite tempora carmen!"

As we're talking about mythology, I remembered a book that we were presented at our Latin classes once. The Metamorphoses book (Metamorphoseon) from the Roman poet Ovid. Metamorphoses is a compilation of 15 books wrote into twelve thousands verses in Latin and poetically talks about cosmology and the world creation, mixing fiction and reality, telling about the transfiguration of the men and gods into animals, trees, rivers, stones, representing the beginning of the times, getting to its highest point at Julio Ceaser and the own poet time, August Century (43 BC - 14 AD). Referencing the Bible itself, I can say that Metamorphoses is the Old Testament from the Greece-Roman Mythology. Including making curious references to some parts, as the creation of the man:

Ovid:
"So the man was born. Thus, or made him from the divine seed the artifice of the universe; or soon will have, apart very recently from the high Ether, maybe still had heaven seeds, its parent, earth that is son of Japeto, mixing with the rain water*, made him as the image of the gods that everything governs."

*Note from author: The earth mixed with the water rain making the clay.

Genesis 2, 5-7
"[5]There where no camp plant on earth, because yet no camp herb had been sprout; because the Lord didn't make rain over the earth, and also didn't have the man to prepare the ground. [6]But a fog came from earth and watered all the ground surface.* [7]So, made the Great Lord from the dust to the man and blew on his nose the breath of the life, and the man became living soul."

*Note from author: The fog brought the rain that sprouted the earth, also forming the clay.

The same way we have at Metamorphoses a deluge that will bring a new world.

Metamorphoses also had influence many works as the Divine Comedy (Dante Aleghieri), where the Hell is a play of many mythological characters of Ovid, struggling into punishments. On Midsummer Night's Dream, Shakespeare takes borrowed the metamorphoses concept at the partial Bottom transforming, a clear reference to Apuleio. The pixies of Shakespeare, as the Ovid gods, are powerful and threatening, controlling the human and the nature, even this being benefit. And also we have the history of Pirame and Trisbe, Book IV, that later will become Romeo and Juliet.
Franz Kafka, on the XX Century, publishes the tale The Metamorphoses (1912) using the metaphor of people that are placed apart the society. The main character, Gregor Samsa, against the "blasphemer and arrogant" Erisicton of Ovid, is a traveler salesman that works to sustain his parents and younger sister. At Erisicton, the character also has a daughter, master, that always get food to her father, while Gregor, from Kafka, has a sister that bring his food, even feeling repulse for him.

Those references, as many others, make Metamorphoses a large study source into a lot of psychology, psychoanalysis and philosophy areas.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Orquideas Brancas

A utilização da cor branca como analogia a paz vem de tempos muito distantes. No antigo império romano, por exemplo, flores brancas eram utilizadas com finalidade de pedir o perdão ou fazer-se as pazes. Nos templos existiam rituais que usavam essas flores, juntamente com os sacrificios, para pedir perdão aos deuses por alguma ofensa cometida. Políticos e comerciantes também utilizavam flores brancas para retratarem alguma ofensa cometida ou demostrarem remorsos, como um pedido de desculpas e pazes.
Relatos de documentos do próprio imperador romano Tibério, guardados por Segismundo e por esse entregues a Timóteo para serem preservados, apresentam uma passagem do próprio imperador oferecendo Orquídeas Brancas para sua mãe, Lívia Drusila, na tentativa de obter seu perdão nos últimos dias de vida dela.
"Fui ver minha mãe. Ela olhou para mim como se não me reconhecesse, e se recusou a conversar. Levei algumas orquídeas brancas, implorei para que ela não morresse com ódio de mim e fiz um sacrifício em meus aposentos para que os deuses devolvessem sua saúde e seu juízo. Mas mesmo quando movia minhas mãos em direção ao altar eu sabia que, no fundo, desejava sua morte. Na verdade eu sonhara com isso durante anos, embora só pudesse admitir isto quando sua morte era iminente."




The using of the white color as an analogy to the peace came from a very long time. At the Ancient Roman Empire, for example, white flowers were used as an asking for forgiveness or to make it up with someone. Into the temples there were some rituals which used white flowers together with the sacrifice, to beg forgive to the gods for any offense caused. Politicians and storekeepers also used white flowers to repair some offense or show remorse, to be friends again or apologizes.
Reports on documents from the Emperor Tiberio himself, kept by Segismundo and after gave to Timoteo to be preserved, shows one passage of the Emperor giving white orchids to his mother, Livia Drusila, on a trying to get her forgiveness on her last life days.
"I went to see my mother. She looked me as she doesn't recognize me refusing to talk with me. I took some white orchids with me, begging to she doesn't die with anger with me and I made a sacrifice inside my room to the gods give her health and mind back. But even while I was moving my hands to the altar I knew that, inside me, I was wishing her death. In fact I had been dreaming with this for years, instead of I just could admit this while her death was imminent."

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Proserpina e as Estações

Vênus, querendo trazer amor a Plutão, enviou seu filho Amor (o Cupido) para atirar uma de suas flechar nele. Proserpina estava na Sicília, brincando com algumas ninfas e colhendo flores, quando Plutão saiu de dentro do Etna com 4 cavalos negros. Ele a sequestrou levando-a para o reino de Hades, um lugar dentro da terra, o qual ele comandava.
Sua mãe, Ceres, deusa da agricultura, também conhecida como Mãe-Terra, buscou sua filha pelos quatro cantos do mundo, encontrando apenas um pequeno cinturão flutuando em um lago que fora formado pelas lágrimas das ninfas. Em sua fúria pela perda de sua filha Ceres fez com todos os vegetais, plantas e frutas parassem de crescer, lançando uma maldição. Ceres recusava-se a voltar para o Olimpo e ficou vagando pela terra, deixando um deserto por onde passava.
Preocupado, Júpiter enviou Mercúrio para negociar com Plutão a libertação de Proserpina. Plutão obedeceu, mas antes de deixá-la ir fez com que ela comesse seis sementes de romã. Diziam que aquele que comesse da fruta dos mortos nunca poderia retornar ao mundo dos vivos. Aquilo significaria que Proserpina seria obrigada a passar seis meses do ano em companhia de Plutão e os outros seis poderia passar com sua mãe.
Quando Proserpina estava com Plutão, sua mãe trazia o inverno, fazendo com que nenhuma planta, flôr ou fruta nascesse nesse período. Quando Proserpina voltava, então sua mãe com alegria trazia a Primavera, fazendo com que todas as coisas florescecem e crescecem.





Venus, in order to bring love to Pluto, sent her son Amor also known as Cupid to hit Pluto with one of his arrows. Proserpina was in Sicily, where she was playing with some nymphs and collecting flowers, when Pluto came out from the volcano Etna with four black horses. He abducted her in order to marry her and live with her in Hades, the Underworld, of which he was the ruler.
Her mother Ceres, the goddess of agriculture or of the Earth, went looking for her in vain to every corner of the earth, but wasn't able to find anything but a small belt that was floating upon a little lake (made with the tears of the nymphs). In her desperation Ceres angrily stopped the growth of fruits, flowers and vegetables, bestowing a malediction on Earth. Ceres refused to go back to Mount Olympus and started walking on the Earth, making a desert at every step.
Worried, Jupiter sent Mercury to order Pluto to free Proserpina. Pluto obeyed, but before letting her go he made her eat six pomegranate seeds, because those who have eaten the food of the dead could not return to the world of the living. This meant that she would have to live six months of each year with him, and stay the rest with her mother. When Ceres welcomes her daughter back in the spring the earth blossoms, and when Proserpina must be returned to her husband it withers.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Pensamento nas Nuvens

Queria poder deixar meus pensamentos nas nuvens, lá em cima. Longe da terra. Longe das pessoas. Longe de mim. Lá, flutuando ao vento. Sem ninguém para incomodá-lo nem incomodando ninguém. Talvez misturando-se entre as nuvens eles se perdessem. Esquecidos, soltos em um azul tão imenso que seu tamanho
nada significaria. Mas se nem as nuvens os querem por lá? De volta e novamente eles retornam para mim. Insistem em ficar. Quem sabe, então, consiga um dia ir para as nuvens e deixá-los aqui...

















I wish I could leave my thoughts on the clouds, up above. Far from earth. Far from people. Far from me. There, floating by the wind. Nobody to bother it, neither it bothering nobody. Maybe mixing between the clouds they got lost. Forgot, free inside a so big blue that its size would means nothing.
But if neither the clouds want it there? Back and again they turn to me. Insisting in stay. Who knows, then, one day I can get to the clouds and leave they here...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Oração do Templo da Internet dos Primeiros Dias

Satélite nosso que estais no céu,
Acelerado seja o vosso link.
Venha a nós o Hipertexto
Seja feita vossa conexão, assin no real como no virtual.
O Download de cada dia nos dai hoje,
Perdoai o café no teclado,
Assim como perdoamos nossa conexão lenta.
Não deixeis cair nossa conexão,
Mas livrai-nos dos vírus,
E-mail!




Satellite Our, Who art in skies,
Accelerated be Thy link,
Thy hypertext come,
Thy connection be done on real as it in virtual.
Give us this day our daily download,
And forgive us our coffee on the keyboard,
As we forgive our slow connection.
And lead us not lose our connection,
But deliver us from the virus.
E-mail!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Bonecos sem rostos... Sem expressões

Sentado no chão, num canto do velho sotão, observo aqueles bonecos empoeirados. Rostos inexpressivos, imóveis e sem vida. Figuras estáticas nas sombras contemplando o vazio. Pensativos corpos inertes que esperam uma força qualquer para moverem-se mais uma vez.
Ainda assim sinto como se quisessem me dizer algo. Contarem suas histórias, medos e anseios. Saudades de uma época onde alguém os importava. Ou apenas o desejo de terem alguém novamente ao seu lado, rindo, brincando, e mesmo que sem expressar emoções, eram felizes de alguma forma.




Sat on the floor, at a corner of an old attic, I watch those dusted dolls. Unexpressive faces, unmovable and without life. Static figures inside the shadows looking at the nothing. Thoughtful corpses on a inert state waiting for some force to can move one more time.
Even that I still feel like if they whish to tell me something. Tell me their histories, fears and anguishes. Missing a time when someone cared them. Or just a wish to have again someone by their side, laughing, playing, and even without expressing emotions, they would had been happy.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Casulo de Playmobil


The Princess of the Playmobil
Upload feito originalmente por Julie Danielle
Ontem encontrei um "casulo" de Playmobil que eu havia feito quando tinha apenas 6 ou 7 anos de idade. Como não tínhamos dinheiro para comprar um Falcon, eu imaginei que se fizesse um casulo do meu boneco de Playmobil, ele se transformaria em um boneco Falcon um dia - não em um Playmobil Borboleta, por favor!
Seria bom poder, em certos momentos de nossa vida, criarmos um casulo e ficarmos dentro dele até nos sentirmos melhores. Até os problemas terem passado e você esquecido deles. Sair desse casulo renovados e evoluídos - não como uma borboleta, novamente.
O fato é que não adianta. Como o boneco, saímos desse casulo do mesmo modo que entramos. Feições inalteradas. Sem emoções. Estático. Inerte. Afluência de sentimentos a lugar nenhum.

E o meu Playmobil ainda continua sendo um Playmobil.

☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻☺☻

Yesterday I found a “cocoon” of Playmobil that I had made when I was just 6 or 7 years old. As we haven’t money to buy a Falcon toy, I imagined that if I made a cocoon on my Playmobil doll, it would become a Falcon one day – not a Playmobil Butterfly, please!
It would be nice can, on certain moments of our lives, create a cocoon and just stay inside it until we get better. Until our problems gone away and we had forgotten them. Came out from this cocoon on a developed way and renewed – not like a butterfly, again.
The fact is that doesn’t matter. As the doll we come out from this cocoon as the same as we got in. Unaltered faces. No emotions. Static. Inert. Feelings converging to nowhere.

And my Playmobil still is just a Playmobil.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Drinking alone...


Drinking alone...
Upload feito originalmente por Guzma
Quero sentar-me ao balcão de um bar, sozinho. Que ninguém ocupe o banco ao meu lado. Não quero muita conversa. Quero sentar-me com um copo de cerveja e a companhia apenas dos meus pensamentos. Deixe que as pessoas pensem "Que triste alguém que bebe sozinho.". Triste são aqueles que não conseguem apreciar a companhia de si mesmos - respondo!

µµµµµµµµµµµµµµµµµµµµµµµ

I want to sit at a pub balcony, alone. And nobody come to occupe the chair by my side! I don't want too much talk. I want to sit with a glass of beer and only the company of my thoughts. Let the people think: "How sad it is someone who drinks alone.". Sad are those which can't appreciate and enjoy the company of itself - I answer!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

PSF de Mané Pá!

Há um mês atrás, mais ou menos, acompanhamos nossa diarista até o posto de saúde, pois ela não estava sentindo-se bem. O PSF ficava em Engenho Maranguape. Depois de uma longa travessia até Mané Pá (Engenho Maranguape), chegamos a um posto de saúde com corredores desertos, sem medicamentos e médicos. Existe apenas um motivo para se encontrar um posto de saúde ou hospital com esse cenário: falta de dinheiro / investimento. Sem dinheiro não há médicos nem remédios. Por um tempo existirão até pacientes aglomerados nos corredores e recepções, mas com o passar do tempo eles deixarão de ir aquele posto e procurarem outros, sobrecarregando o atendimento nesse outro local. Por isso deduzo que a situação ali em Engenho Maranguape já estava há um bom tempo no descaso. Por coincidência (ou não), na mesma semana, aproximadamente, uma reportagem denunciou o descaso naquele posto e comunidade. Ontem li uma matéria sobre o mesmo posto. Agora com médicos todos os dias, estoque de medicamentos completo e pessoas nos corredores voltando para casa atendidas! O posto ainda é insuficiente para atender a toda a comunidade (11.000 pessoas aproximadamente), mas em período próximo a eleições, já ajuda a conseguir uns votos!

video

One month ago, more or less, we made company to our maid to the health center, because she was not feeling so well. The HC was placed at Engenho Maranguape. After a long way until Mané Pá (Engenho Maranguape), we got to the Health Center with empty corridors, no medication or doctors. There's only reason to find a Health Center on that situation is no money or investment to this. Without money there will be no doctors or medication. For a period may have patients there, jointed on the corridors and receptions, but with the time they will stop to go there looking for another and overflowing the attendance there. So, I deduce that the situation on Engenho Maranguape have been being like this for a while. By a coincidence (or not), at the same week, or near this, a news channel denounced the uncase to that place. Yesterday I read a notice about the same place. Now with doctors every day, full medications supply and people on the corridors backing home with an attendance. The Center still isn't enough to attend all the community (almost 11.000 people), but near elections period, already helps to get some votes!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Biometria

Próximo ano daremos mais um passo na informatização e avanço tecnológico das eleições. Três municípios irão utilizar o novo sistema de identificação do eleitor. A identificação Biométrica.
A Urna Biométrica identifica o eleitor através de sua impresão digital. Todos os eleitores são cadastrados em um banco de dados juntamente com sua digital e foto. O eleitor, ao chegar em sua sessão de votação, identifica-se no leitor biométrico liberando então a urna para receber o voto. Caso haja algum problema na leitura da digital ou dúvida quanto a identidade do eleitor, o mesário terá a sua disposição a folha de votação com as fotos de todos os eleitores daquela seção. Podendo assim também identificar o eleitor.

Agora pra votar no lugar de outra pessoa, só cortando sua mão!



So next year we're giving one more step forward to the future and technologic advance of the elections. Three cities will use the new system of identification of the electorate. The Biometric Identification.
The Biometric Ballot indentifies the voter by his finger printers. Every voter data must be recorded into a database having his finger print information and his picture. The voter, when arrives at his vote site, identify himself to the biometric reader that releases his ballot. If there is some problem with the digital reading or some doubt about the id of the voter, will be available to the election agent the vote sheet, with the information and photo of the people whose votes on that site. So he also can identify the voter to let his ballot.

Now, to get vote into another person place, only if you cut his hand!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Vida e Morte de um Devedor...

Uma promoçãozinha aqui, outra promoçãozinha ali, uma taxa qualquer, pequenininha, em outro lugar. Um plano qualquer que excede em seu valor bem mais que aquilo que você realmente costuma a utilizar. Uma assinatura de um canal ou revista que você raramente lê ou assiste. Contas, contas e mais contas. Gastos que vão se acumulando e passando de ano para ano.
Quando você percebe não está sobrando mais nada do seu salário no final do mês. Na verdade você percebe que seus gastos estão maiores que a entrada de dinheiro. Mas você não percebe isso porque está fazendo um controle orçamentário. Simplesmente percebeu quando o saldo de sua conta começou a entrar no cheque especial. Você começa a não pagar o valor total da fatura do cartão de crédito achando que aquilo vai ser só aquele mês. "Próximo mês eu me organizo e pago tudo".
Você percebe que não é tão fácil e quando nota está fazendo aquilo todos os meses. A dívida com a operadora de crédito já é astronômica. Juros sobre juros. Bola de neve. Você começa a sortear, é, ironicamente, sortear quem será pago ou não naquele mês. Seu nome já está sujo na praça e agora você tem que depender de amigos ou familiares, com muito boa vontade, para fazer algumas compras.
Você pergunta se existe uma saída. Se há uma volta daquela situação. Pensa em fugir. Sumir para outro lugar onde ninguém te conheça. Começar novamente. Mas e sua família? Seus filhos e esposa? Seus pais que não tem mais nada a não ser seu único filho? Com que dinheiro você vai conseguir começar novamente em um outro lugar? Sozinho é mais fácil, e ao mesmo tempo não o é.
A bebida e as drogas te ajudam a esquecer. Te levam facilmente para esse lugar distante, onde você pode ser quem quiser e começar tudo novamente. De repente você está de volta, só que a sensação é cada vez pior. Cada retorno é para um lugar mais profundo onde fica cada vez mais difícil enxergar a luz.
Até que um dia você não consegue mais voltar. Você conseguiu fugir de tudo aquilo. Contas, juros, cobranças... filhos... esposa... pais... a dôr... A dôr que sente em algum lugar é a única coisa que você trouxe. E em algum lugar você tenta pensar em que ponto poderia ter parado e tomado o controle?




A little offer here, another offer there, some tax, small, in another place. A contract which exceeds much more the value that you use to expend. Some channel or magazine that you rarely read or watch. Bills, bills and more bills. Expends which going growing and passing year by year.
When you notice there's no more leaving money from your salary. In fact you notice that your expends are bigger then your money in. But you didn't notice it because you're doing some budget control. No, simply your bank account started to get into the red. You start to not pay the full amount of the credit card bill, guessing that will be just this month. "Next month I organize myself and pay everything.".
You notice that's not so easy and then you're doing this every month. Your debits with the credit card became astronomical. Taxes over taxes. Snowball. You start to sort, yes, to sort, who will be paid or not that month. Your name has no more credit at market and now you depending on the goodness of familiars or friends to buy something.
You ask yourself if there's some way out. If there's a turn back from that situation. You think in go away. Runaway to another place where no one knows you. Start again. But your family? Your wife and kids? Your parents whose have nothing more but you, their only children? With which money you'll get to begin in another place? Alone is easer, but isn't at the same time.
The drink and drugs help you to forget. Take you so easy to that distant place, where you can be anyone to start again. Suddenly you come back, and the feeling is worst and worst each time. Every turn back is to somewhere deeper where the light reaches less and less.
So one day you can't turn back. You did runway from everything. Bills, taxes, charges... son... wife... parents... pain... The grievous pain that you're feeling in somewhere was the only thing that you brought with you. And in somewhere you try to record where, in which point, could you had stop to take the control?

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Limpando Pensamentos...

Lexapro... Sertralina e Paroxetina. A Ampola da Felicidade. Sem dôr. Sem tristeza. De bem com o mundo e a vida. Sem sentir nada além do torpôr. Exatamente como limpar um terreno queimando todo o mato dele. Sem esforço. Tudo vai embora com a fumaça. Ficam as cinzas... O solo infértil... a fumaça poluindo algum lugar.
Com o tempo nada mais vai crescer naquele local. Um lugar morto na nossa mente e lembrança. Flores, grama, mato, galhos, nada de bom ou de ruim. O solo foi estragado. Está danificado. Coisas sem vida vão tomando espaço e sendo entulhadas naquele lugar. Prefiro deixá-lo vazio. Quando voltar lá um dia, vou encontrar somente um campo árido, seco e morto...



Lexaproline... Sertraline and Paroxetine. The Blister of Happiness. Without pain. Without sadness. Living the good life. Feeling nothing but the torpor. Just like cleaning a terrain, burning the weeds. No effort. Everything just goes with the smoke. Remaining the ashes... The unfertile ground... The smoke polluting somewhere.
With the time nothing more will grow there. The soil was damaged. Things without life go taking the space and going being piled there. I prefer just let it empty. When I come back there, someday, I'll find just a hard, drew and dead field...

terça-feira, 27 de outubro de 2009

O Sapo Príncipe

O conto original dos Irmãos Grim conta sobre um Príncipe que havia sido almadiçoado por uma Bruxa a viver como um sapo até que o feitiço é quebrado por uma Princesa, depois que joga o sapo na parede. É... nada de beijo ou amor. Ela joga o sapo na parede. Ploft... E ele vira um Príncipe de lindos olhos.
A cena é meio ridícula. O Príncipe caído lá no canto do quarto da princesa, com o olho roxo. O Sapo nunca fez com que a princesa se apaixonasse por ele. Na verdade ele ficou pentelhando, que nem aquela galerinha chata em balada, que fica cozinhando o ouvido das menininhas com cantada barata. Por isso ela o joga na parede. O Sapo nunca ganha um beijo no conto original!
Tem também um tal de Enrique, que é o escudeiro do Príncipe. Quando o príncipe é amaldiçoado em virar Sapo, Enrique enlaça seu coração com três correntes, por tristeza e pesar pelo seu príncipe. Convenhamos que esse cara era meio gay. No mínimo tinha uma paixão reprimida pelo príncipe. Quando fica sabendo que seu príncipe voltou a ser príncipe, as correntes se partem de tanto é sua alegria! Meu Deus que delícia! Noooosssaaaaa!!!!
...Por favor... Eu preferia quando o sapo conquistava o amor da princesa e essa lhe dava um beijo...



The original Grim Brothers Tale tells us about a Prince which had been cursed by a witch to live as a frog until the spell was broken by a Princess... After throw him at the wall! Yeah... No kisses or love history. She throws him on a wall. Ploft... And he becomes a Prince with beautiful eyes. The scene seems a little ridiculous now for me. The prince there on the floor, at the corner of the room, with a purple eye. The frog never made to the princess get in love with him. In fact he was insisting, like those guys at a night club talking and talking over the ears of the girls with their no sense making pass. Maybe because of this she throws him at the walls. The frog never had a kiss in the original tale.
There's also have a guy named Enrique, which is the prince Knappe (Scarce). When the prince is cursed into a frog, Enrique enlaces his heart with three chains, because of the sadness and painful for his prince. Just between us, its a little homo for me. At least he had some held passion for the prince.
After he known that his prince became a human again, the chains were broken because he's so happy! Oh my!!! Delicious!!! I'm happy again!!!!
...Please... I prefer when the frog won the princess love and she gave him a kiss...

domingo, 25 de outubro de 2009

Guarda-Chuvas e Umbrellas

Terminei uma atividade e não vai dar tempo de começar outra. Cai com aquele período da zona morta, que nem posso ir pra casa nem tenho nenhuma atividade de uma hora pra passar o tempo. Ocioso, resolvi escrever sobre... Guarda-Chuva!!!
Guarda-Chuva pequeno, retrátil e compacto é prático e bonitinho, mas nem um pouco útil. Quando você menos espera vem um vento noroeste e ele se abre todo, que nem arte moderna, um monte de ferro retorcido. Aí acabou sua função básica, que era te proteger da chuva, e ele se torna um trambolho inútil, que não vai dar pra consertar, e que também você não pode deixar ali na rua.
Mesmo sem o vento, depois da segunda "abrida" ele começa a descusturar-se. Na terceira vez que o abrir, você vai perceber que ficou uma protuberância de arame descoberta e que sua geometria ficou meio desfigurada. Já tive uns que inclusive descusturaram no centro. Quando chuvia, caia goteira! Pois é... Guarda-Chuva com goteiras! Dava até pra ver pelo buraquinho se tinha parado ou não de chover :P Por isso que meu guarda-chuva é feio, preto e grande!
Quando eu era guri queria fazer que nem os desenhos ou o filme da Mary Poppins... Voar com o guarda-chuva (o meu era do Homem-Aranha). Resultado... uma perna quebrada e meu guarda-chuva do homem-aranha virou um monte de arame envergado! Por isso uso apenas para me proteger da chuva hoje em dia.
Guardas-Chuva são que nem banheiros. A gente não precisa estar a todo momento em um, mas se não houver um por perto quando precisamos pode ser um grande problema.






I just finished a task here and there's no time to begin another. It's that Dead Zone time, where I neither can go home and neither have some one hour task to spend my time. Loiterer I resolved to write about... Umbrellas!!!!
Those small, retractile and compact are practice and kilt, but not a less useful. When you less expect comes a Northwest wind to its opening and becomes a piece of modern art. Just twisted iron. So gone over its basically function, that was to protect you from the rain, to become unusable thing, that you can't fix, neither can leave there on the streets.
Even without wind, after opening for the second time it starts to unsew. On the third opening you will notice some uncovered part, showing only the wire structure and the deformed geometry. I even had some which had been unsew on the center. When it was raining, there was a leak! Yes... An leaking umbrella. We could even watch through the hole if the rain had stopped :P That's because my umbrella is ugly, black and big!
When I was a kid I desired to do the same as in the cartoons or the Mary Popping... Get a easy fall down or fly with my umbrella (I had a spider-man umbrella... was cool). The result of this was a broken leg and my Spider-Man umbrella had become a lot of twisted metals. Today I just use it to protect me from the rain. Umbrellas are like bathrooms. We don't need one all the time, but if there's no one near when we need it, it can become a big trouble.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Meu Encontro com a Dilma

Ontem eu tinha um encontro agendado com a Ministra Dilma Roussef, mas não pude comparecer. Ela também não sabia da existência desse compromisso, porém está anotado na minha agenda! Ou seja, se eu tivesse ao menos estado no Palácio do Planalto ontem, poderia dizer que tinha tido um encontro com ela e a confusão estava gerada!!!
Claro, sei que não é tão simples como estou dizendo aqui. Que raios a Ministra teria de assunto para tratar comigo? Meu blog com meia dúzia de leitores? Mas parece que é justamente essa linha de raciocínio que Lina Vieira está seguindo para tentar provar que houve o encontro com a Ministra em Outubro do ano passado. Uma anotação na sua agenda.
No mínimo é complicado utilizar isso como base de uma prova para confirmar o suposto encontro das duas. Anotação em agenda pode ser feita a qualquer momento. Mesmo que a Ministra por um acaso tenha na sua agenda, uma anotação sobre o encontro no mesmo dia, quem garante que existiu? Até mesmo a agenda pode ter "sumido" providencialmente! Será que vai ter teste de carbono para saber em que data foi escrita a anotação?




Yesterday I had a meeting with the Ministry Dilma Roussef, but I couldn't go. Indeed, she also didn't know about the existence of this meeting, but it's scheduled at my diary! This means that if I at least had been at the Planalto's Palace (same as the White House for the USA) yesterday, I could affirm that I had a meeting with her and the confusion would be created!!!
I know that is not that simple. What a hell the Ministry might want with me? Talk about my six readers blog? But it seems to be the thought line which Lina Vieira is trying to follow to prove that she had a meeting with the Ministry last October 2008. A note at her diary.
It's hard to use this as a fundamental base to prove her supposed meeting with the Ministry. Even if at the Ministry's diary there's some note about the meeting at the same day, who knows if it really happened? Even the Ministry's diary could have "disappeared" on a providential fact! There would be some carbon test to know the exactly date of the hand wrote note?

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Partidos... Legendas... e Tolices...

2010 vem chegando e com ele as Eleições para Presidente e Governadores. PT, PSDB, PSOL, PR, PSC... contei nada menos que 27 legendas no site do TSE . O que menos compreendo em todas essas legendas partidárias, é onde está a diferença entre PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), PDT (Partido Democrático Trabalhista), PT (Partido dos Trabalhadores), PT do B (Partido Trabalhista do Brasil) e PTC (Partido Trabalhista Cristão). Tipo, ah tem um que é Democrático! E aí? O resto não faz parte de uma Democracia? Opa, olha lá o Partido Trabalhista Cristão! Cristão! Quem for Judeu, Budista, Islâmico, etc., favor não se afiliar nem compartilhar dos ideias do partido! Porque você não é um Trabalhador Cristão! Só trabalhador...
Isso para não falar nos Democratas e Socialistas que possuem esse mesmo quadro... Cristão, os que trabalham, os que não trabalham e etc. Olha só: PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) e DEM (Vulgo DEMos, Democratas). Acredito que o DEM não deva ser nem ter nada Social. Outra coisa ridícula:
PR (Partido da República) e PRB (Partido Republicano Brasileiro). O primeiro deve ser da República dos Estados Unidos né? Republicanos e tal... Porque o segundo sim, é Brasileiro!!! O outro não... Ai você me diz: "E quanto as coligações?". Pra que, se tudo seria bem mais simples se os coligados formassem um único partido???
Acho que tolos eram os Romanos que tinham basicamente três partidos (na verdade algo semelhante ao que consideramos partidos atualmente): Esquerda, Direita e Centro! Devo também ser tolo por não compreender nada disso... Ou quem sabe tolos são os que acham que compreendem tudo isso!




2010 is coming and with it the President and Government elections. PT, PSDB, PSOL, PR, PSC... I had count nothing less then 27 different parties at TSE web site (Superior Election Tribune). What I can't understand in all those parties is where's the difference between PTB (Worker Brazilian Party), PDT (Democratic Worker Party), PT (Worker Party), PT do B (Worker Party of Brazil) and PTC (Christian Worker Party). Something as, "Oh, there's one that is Democratic!". So what? The rest are not Democratic too? Ops, look there the Christian Worker Party! Pay attention, Christian! Those who are Jewish, Buddhist, Islamic, etc., please do not affiliate to this party, because you don't share our thoughts! Because you aren't a Christian Worker, but just a worker!
And I still didn't talk about Democrats and Socialists, which have the same scenery... Christians, those who work, whose don't work, etc. Look this: PSDB (Party of the Brazilian Social Democracy) and DEM (Democrats). I believe that DEM may be not even closer a Social. Another ridiculous thing: PR (Republic Party) and PRB (Brazilian Republic Party). The first one may be another Republic, isn't it? Not Brazilian... Because the second, yes it is Brazilian!!! No, the other doesn’t... So you ask me: "What about the colligations?". For what, if would be even more simple to join all the colligated parties into once????
Maybe the fools were the Romans which had basically three distinct parties (or something which is so called our today parties): Left, Right and Center! I might be also a fool because I can't understand anything about it... Or maybe the fools are the people whose understand all this!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Temperatura da dor

A sensação de impossibilidade nos congela. E a única coisa que parece se mover são as lágrimas que teimam em nascer no canto do olho. É frustrante não podermos fazer nada além de sentir a dor penetrando em nossa alma. Por instantes sentimos uma necessidade de acordarmos de um pesadelo inexistente. De sairmos correndo pelo mundo... Mas nesse momento percebemos que o mundo é pequeno diante da dor que sentimos...
A dor nos invade, o pequeno mundo vai desmoronando... Podemos sentir cada pedacinho caindo junto com as lágrimas quentes que rolam pelo rosto frio.
Os sentidos parecem desaparecer; o tônus esmorece... O rumo da vida foge do nosso alcance. Nossa casa torna-se um abismo inconsolável. Os planos de algum dia refluem como plumas soltas na ventania.
Torna-se inútil qualquer intenção de reação. Somos invadidos por um mundo do qual tínhamos medo, o da dor "inexistente". A partir desse momento, temos plena consciência que estamos sozinhos. Sentimos que o mundo pouco se importa. Que alguém pouco se importa.Que estamos completamente nus e com frio...

O Tolo do Blanka


Como ainda estou sem internet em casa e meu notebook adoeceu (ainda estou tentando salvá-lo de um format), passei o feriadão fazendo uma das únicas coisas que meu Desktop sem internet serve: Jogar!
Estava vendo uns jogos instalados há algum tempo nele e deparei-me com Street Fighter! Uau! Velhos tempos de fliperama... Ryu, Ken, Sagat, Balrog, Radukens e nosso compatriota Blanka! É... Brasil, Carnaval, Samba, Futebol, Capoeira... e um bicho que parece o Chupa-Cabra superdesenvolvido!
Queria entender de onde aquilo foi originado, pois parece uma versão indígena do Incrível Hulk! Foi como? Um Tupi-Guarani que ficou exposto tempo demais aos raios gama?
Sinceramente... Antes um esteriótipo latino lutando capoeira... E o cara ainda é candidato a mascote do Rio 2016!!!



As I'm still without phone line, consequently without internet connection, and my notebook is sick (I'm still trying to save it from a Format), I had all my extended weekend (we had a holiday last monday) doing the only thing that my Desktop is useful for without Internet: Playing PC games :P
I was looking for games installed some time ago at my PC and with surprise found Street Fighter! Wow! My old fashion pinball times... Ryu, Ken, Sagat, Balrog, Radukens and our fellow Blanka! Yeah... Brazil, Carnival, Samba, Soccer, Capoeira... and a weird monster that more looks like an overdeveloped Chupa-Cabra!
I just would like to understand from where that thing was created, because looks like an indian version of the Incredible Hulk! How was that? Some Tupi-Guarani was exposed to too much gamma ray?
Honestly... I would prefer some latin stereotype fighting capoeira... This thing also still is the candidate mascot to the Rio 2016 Olympic Games :P I deserve it...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Começando

Bem, alguém tinha que começar escrevendo aqui, nada mais justo que o alter-ego criador do Blog. E também porque já faz mais ou menos umas duas semanas que essa página foi criada e já estava começando a criar mofo por desuso :P O blog ainda passará por diversas alterações, mas se não sair do canto nunca vai ser alterado. Afinal, é tolice criar um blog sem posts!
Vi hoje pela manhã a confirmação que a entrega do sexto lote do IRPF 2009 irá atrasar. O governo está sem fundos para nos restituir :P Gastou... puf... foi embora. Deu pitú! Agora só no começo de 2010.
E claro, para não perder o posto de tolo, minha restituição ficou para o sexto e último lote!

Escutando Richard Grey (You Can Run)


Well, someone had to start over writing here, and nothing fairer then the alter-ego who’s created this Blog. And also because that was nearly two weeks that this blog was created and the mold was starting to appear by no use :P The blog will still pass through a series of modifications, but if we don't move into this, it will never change. At least, is fool to create a blog with no posts :/

I saw this morning the confirmation that the sixth part of the 2009 taxes restitution will be late. The government is without money to pay us :P Yeah, expend... puf... gone. Now only at beginning of 2010.
Of course, to not lose the fool position, my restitution was in this sixth part :/

Hearing Euridee's (Pour Toi)