terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Reflexos

Permaneço parado diante do espelho tentando entender aquele que está a minha frente. Tentando perceber um gesto, um olhar, um movimento que me ajude a decifrá-lo. De onde vem toda essa angústia? De onde vem essa expressão fria e vazia? Em que ponto foi perdido aquele fio de vida?
Quanto mais o observo mais distante vou me distanciando do mundo. Ele me puxa para dentro do espelho, e junto o pouco de mim que ainda convive socialmente. Não sei se quero lutar contra isso. Se quero entendê-lo ou apenas esquecê-lo. Daquele lado tudo é tão quieto e triste.
Seu olhar penetra em minha alma. Por um instante não sei mais de que lado estou deste espelho. Sei que não poderei voltar depois que entrar. Mas... por que voltaria?



I stay in front of this mirror, trying to understand that one in front of me. Trying to note a gesture, a look, a movement that helps me to decode him. From where comes so much anguish? From where comes this expression so cold and empty? Where the line of life did was lost?
How much I observe more distant I going being from the world. He pulls me inside the mirror, and together goes the few of me that still lives socially. I don't know if I want to fight it. If I want to understand him or just forget. That side all seems so quiet and sad.
He looks goes deep into my soul. For a moment I don't know in which side I'm from this mirror. I know that I won't come back after I come in. But... Why would I come back?

2 comentários:

  1. Tu é tu mesmo ou tu é a imagem do espelho?

    ResponderExcluir
  2. Sou o reflexo de minha própria imagem refletida no espelho... uhhhhh =|

    ResponderExcluir